segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Aulas de Dança e BMC® no Lab-C


Horário: Segundas-feiras, das 14h às 16h, de 29 de janeiro a 25 de junho de 2018.

Local: Lab-C, Rua Cardeal Arcoverde, 119 C, 2º andar, próximo ao metrô Sumaré e Clínicas

Público: Para pessoas interessadas na proposta da aula. Não é necessária experiência anterior em dança ou em BMC®, mas aconselha-se que o participante esteja disponível para experimentar a fisicalidade e o movimento do seu corpo em grupo.
.
Investimento: Mensalidade R$ 215,00 ou 5 cheques de R$ 200,00.
Valor da aula avulsa/experimental : R$ 70,00

Inscrições e outras informações, escreva para



Sobre a aula de Dança e BMC®

Neste primeiro semestre de 2018, de 29 de janeiro a 25 de junho, vamos ter a possibilidade de entrar em contato com nossa corporalidade dançante através da abordagem do Body-Mind Centering®[1]. Uma aula-encontro para se experimentar a anatomia do corpo em movimento e poder estar em “estado de dança”, criando e fortalecendo conexões variadas entre as pessoas, o espaço e o momento presente.

O Body-Mind Centering® é uma abordagem terapêutica de educação somática que permite que cada pessoa entre em contato profundo com suas estruturas anatômicas, reconhecendo suas potencialidades de movimento e estimulando também a expressão e criação de uma dança pessoal a partir da experiência sensorial do corpo, em conexão com os outros e o ambiente.

Seja através de propostas de qualidades ou sequências de movimento, de toque (hands on), de visualização de imagens anatômicas, fisiológicas e poéticas, de trocas verbais, da escrita e observação de movimentos das pessoas e da natureza, cada participante poderá encontrar um caminho para expandir o autoconhecimento corporal e dançar a partir da concretude da sua fisicalidade, com autonomia e respeito para consigo mesmo e com os outros do grupo.

A aula de dança será orientada por Leticia Sekito|Companhia Flutuante, integrando organicamente os princípios do BMC® com as referências da dança contemporânea, da improvisação, da performance, do Aikidô e das experiências artísticas que Leticia tem desenvolvido há alguns anos.

Um aula-encontro de dança a ir tomando corpo no espaço

conforme os desejos, interesses e a energia dos participantes!

Se você estiver de passagem por São Paulo ou se quiser fazer uma aula avulsa/experimental, por favor, contacte-nos por e-mail  (companhiaflutuante@gmail.com) para ver em qual dia isso poderá ser possível para que todos possam se beneficiar da sua presença pontual, ok? 


Bio
Leticia Sekito fundadora e dançarina da Companhia Flutuante, fez formação livre em dança no C.E.M. – Centro em Movimento, Lisboa/Portugal, com Sofia Neuparth, Peter Michael Dietz, entre outros. Trabalhou no Estúdio Nova Dança e na Cia. 2 Nova Dança. Foi contemplada com a Bolsa Rede Stagium 1997, o Rumos Dança Itaú Cultural 2006/07, o Prêmio Funarte Klauss Vianna 2009, o Programa Municipal de Fomento à Dança em 2010 e 2011, entre outros. Sob coordenação de Suiá Burger Ferlauto, desenvolveu o projeto de dança e desenho “Fluxos em Preto & Branco” (2011-2018), com vários performers e artistas, projeto ainda em atividade. Criou a trilogia “Disseram que eu era japonesa”, “E eu disse”: e “O Japão está aqui? e recentemente as performances “De 1 para 1” e “Encontros Fortuitos Movidos a Haicais”. É preparadora corporal e massoterapeuta, Educadora do Movimento Somático – B.M.C®, professora certificada pelo método DanceAbility®, é praticante de Aikidô e participa do Centro de Estudos Orientais, orientado por Christine Greiner. Entre 2016 e 2017 orientou cursos de dança e B.M.C® no Centro de Referência de Dança, em São Paulo. Desenvolve parcerias com Peter Michael Dietz, Suiá Burger Ferlauto, Joana Porto, Ligia Chaim, Gil Grossi, Inês Corrêa, Felipe Merker Castellani e Alessandra Bochio, Maíra Silvestre, Manuel Pessoa Lima, Plinio Higuti, Vanessa Lopes, Núcleo Dança Aberta, Grupo 59 de Teatro, In. Saio Cia de Arte, entre outros. 


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Link do clip no Youtube https://youtu.be/x70aHYtRT24




Video clip da performance "Suspensões e tremores", de Felipe Merker, Leticia Sekito, Manuel Pessôa Lima, maio 2017. A convite de Christine Greiner, os artistas improvisadores Leticia Sekito, Felipe Merker Castellani e Manuel Lima, criaram a partir do diálogo com a exposição Fleeting Moment, de Dan Omaki, uma performance que inter-relaciona em tempo real dança e música, corpos e sonoridades, presenças e memórias. Esta performance também dá continuidade as colaborações dos artistas iniciada no projeto Modulações de Felipe e Alessandra Bochio. A partir de um recorte de algumas experiências que teve em sua residência artística em Kyoto em 2008, Leticia Sekito tem como ponto de partida a pergunta: "o que acontece na dança quando penso em minha viagem de 2008 ao Japão?” Desta pergunta engendram-se catalisadores de qualidades corpóreas. Um elemento marcante em tal contexto são as pedras, presentes tanto nos jardins japoneses, especificamente no jardim do Templo Ryoan-ji, quanto na vídeo instalação Modulações de Felipe e Alessandra, a este elo de entre diferentes temporalidades e lugares somam-se a as sonoridades propostas por Felipe e Manuel. É a partir deste “Japão-memória” que os artistas constroem um possível estar e agir no presente. Duração aproximada 25 minutos. Classificação: livre. Agradecimentos: Ana Amélia Genioli, André Noro, Christine Greiner, Dan Omaki, Ateliê da Mateus, Galeria Olido.

"Encontros fortuitos movidos a haicais", intervenção


foto Plinio Higuti


Link do clip no Youtube https://youtu.be/IP9cdZznlpg

Vídeo registro da intervenção realizada na Virada Cultural/Sesc Belenzinho, em maio de 2017, São Paulo. Intervenção de dança baseada na poesia haicai de autores contemporâneos, com a performer Leticia Sekito da Companhia Flutuante. Uma proposta para gerar encontros ao acaso entre a artista e o público mediados por um haicai sorteado por uma pessoa por vez, a ser realizada em espaços alternativos, sejam internos ou externos. A cada encontro, uma mini-dança é criada através da linguagem da improvisação. Na intervenção procura-se explorar algumas relações entre o modo de composição do haicai com a improvisação em dança, onde ambas expressões artísticas são criadas a partir de uma sensação ou observação pessoal do artista em relação ao seu entorno, no tempo do aqui /agora, através de uma economia e intensidade da ação, deixando o leitor/público completar a criação através da sua própria fruição do momento. Acaso, prontidão, escuta e desejo de vivenciar um momento único pela sensação e presença, também são elementos presentes nestas linguagens artísticas. Intervenção estreada em junho de 2015 no SESC Itaquera. Duração aproximada entre 30 a 60 minutos. Censura livre ficha técnica intervenção em dança e criação dos postais: Leticia Sekito vídeo: Plinio Higuti apoio cultural: Centro de Dança Umberto Silva/Galeria Olido agradecimentos: Alice Ruiz, Luciana Bortoletto, Maíra Silvestre

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Fluxos em Preto&Branco #17, SESC Ipiranga

Fluxos em Preto&Branco #17

Primeira vez que o experimento aconteceu em 3 dias de performance seguidos, de 16 a 18 de junho de 2017,   no auditório do SESC Ipiranga

Artistas convidados: Suiá Burger Ferlauto ( cenografia e orientação visual), Felipe Merker Castellani (som), Ligia Chaim (luz), figurino de Joana Porto, Inês Corrêa ( foto), Plínio Higuti (vídeo registro), produção de Maíra Silvestre.

Vídeo registro do dia 18 de junho https://youtu.be/QEspOozypeU

Video clips do dia 17 de junho:

O projeto Fluxos em Preto&Branco é uma iniciativa de Letícia Sekito|Companhia Flutuante que desde 2012, reúne artistas improvisadores atuantes em diferentes linguagens, sobretudo das artes visuais e da música para trabalhar em colaboração na construção de experimentos performáticos únicos no viés da relação entre a ação corporal, a dança e o desenho, através da linguagem da improvisação.
Dando continuidade ao projeto em 2017, Fluxos em Preto&Branco tem sido realizado em versão solo, utilizando-se dos elementos de carvão ou nanquim em papel branco.  Para o SESC Ipiranga propomos a performance Fluxos em Preto&Branco - Experimento #17, a ser realizada durante três dias consecutivos, com performance de Leticia Sekito, acompanhada do músico Felipe Merker Castellani, da iluminadora Ligia Chaim, com a orientação visual de Suiá Burger Ferlauto e produção de Maíra Silvestre. Os materiais de desenho utilizados serão o carvão vegetal e o papel branco, e a performance vai ser guiada pelas ideias de acumulação e imprevisibilidade.

Agradecimentos do coração ao artistas Alex Ratton, Priscila Jorge, Felipe Julián, Sandra Ximenez, Roberto Freitas, Paula Viana, Inês Correa, Vanessa Lopes, a pesquisadora Cecília Noriko Saito e Ivan Okuyama Sensei, parceiros do projeto Fluxos em Preto&Branco de 2010 a 2012!


Fotos de Suiá Burger Ferlauto, dia 16 de junho










Fotos de  Rafaela Queiroz de Sena, 17 de junho











Fotos de Inês Corrêa, 18 de junho